Sei que este post vai soar completamente egocêntrico, egoísta e chato, mas é porque eu sou assim mesmo xD

Da última vez eu fiz um tutorial pra me dar presentes xD, mas este ano vou ser mais direta ainda o/

Para aqueles que estão em uma dúvida cruel sobre o que me dar de presente de aniversário, aqui vão alguns itens no meu campo de desejos:

Mangás: bom, acho que qualquer um é válido xD mas estes são os que eu venho cobiçando há um tempo, Princess Princess, Gravitation(a partir do 2), Ouran, Code Geass, 07 Ghost, última edição/Edição especial/13 de Death Note, Sakura Card Captors, xxxHolic, Death Note - Another Note. Também gosto de livros com curso de desenho e aqueles sobre aprender japonês ou aprender a cozinhar lendo mangá também são muito interessantes.

Tentei comprar o anel do Deidara várias vezes e não consegui ¬¬, o mesmo para a bandana e as botas (obs: as botas da akatsuki não são iguais as dos outros shinobis).

Bom, eu gosto de qualquer coisa que envolva animes, MCR ou seja fofa.

Gosto de presentes feitos à mão pela pessoa.

Gosto de livros, dentre os meus autores preferidos estão: Stephen King, Anne Rice (na verdade adoraria ter “Entrevista com Vampiro”) e Fernando Pessoa, (eu gosto da Agatha Christie também, mas gosto tanto que já tenho todos os livros dela). Também gosto de outras literaturas nacionais e pra falar a verdade não tenho muitos livros. Gosto também de livros de receita (ou de comida em geral) e revistas de bordado.

Ah, e é claro, o resto da coleção dos romances de vampiro a máscara seria adorável *-*

Um comic de desejo que eu não tenho certeza se foi licenciado no Brasil com certeza é “The Umbrella Academy” roteiro do Gerard Way e ilustrações do Gabriel Bá.

Camisetas: eu uso G

Sapatos: eu calço 40/41 (se a forma for masculina ou unissex provavelmente 40, se for feminina com certeza 41)

Não me dê cosméticos, por favor ^^

Acho que já tá bom né? =X

P.S.: mangás que eu já tenho:  36, 37, 38 de Naruto; 8 de Vampire Knight; 1 de Gravitation; 8, 9 de Death Note.

Romances de Vampiro a Máscara que eu tenho:  Tzimisce, Gangrel, Lasombra, Toreador e Assamita.

Obs sobre outros livros: eu tenho o primeiro volume de Eragon e tenho Carrie a Estranha.



By Kdm às 13h23
[ ] [ envie esta mensagem ]






Flores Murchas

 

Não arranques flores

Das plantas no meu quintal

Se as quer espera que caiam

Para então as levar

 

Valor não há em flores mortas

Que nos possa interessar

Além da beleza momentânea

Que logo se esvai

 

Estas flores vão murchar

(KDM_, 03-03-11, durante a aula de Estudos Literários, interpretando “O poema e a água”)

Pensado um dia antes, ao caminhar sob árvores floridas.

 

 

Veja meus antigos posts aqui: http://nogirls.zip.net/listArchive.html

 



By Kdm às 16h01
[ ] [ envie esta mensagem ]






Amigo podem se odiar?

Quando você faz um contrato com o diabo, ele pede a sua alma em troca da realização do seu desejo. Reza a lenda que sua alma é eterna, então a realização de um desejo lhe custa a eternidade. Fiz um contrato com o demônio, mas o meu demônio é feito de carne e ossos, em troca de uma relação que me durou pouco mais que um ano, prometi algo que era para sempre, prometi minha amizade. Mas essa relação vem me consumindo aos poucos, como posso manter o contrato e a minha dignidade ao mesmo tempo?

(KDM_, 10 de janeiro de 2011, 11:00, sendo apressada para almoçar antes do vestibular)

Muitas vezes me encontro pensando: “Eu o odeio!” e em seguida me pergunto: “posso odiar um amigo? Se não posso, estou quebrando minha promessa.” Então diante disso pergunto retoricamente aos leitores: amigos podem se odiar?

(KDM_, 10 de janeiro de 2011, 23:00, esperando o im de um download)

 



By Kdm às 23h21
[ ] [ envie esta mensagem ]






Como se fossem só as cortinas

            O sono matinal ainda o mareava enquanto punha a mesa do café. O sol mal começava a ocupar o céu, era horário de inverno, mas o frio não era tão intenso, e ele gostava  da brisa fresca tocando sua pele nua, por isto a falta da camisa não o incomodava.

                        Ele se sentou á mesa e começo a passar a margarina sem sal nas mini torradas que encontrou nos potes da cozinha.

            - Amor... -vestindo um longo e velho moletom, que usava para dormir, sua esposa apareceu na porta da cozinha esfregando os olhos. Os cabelos estavam um caos total- Precisamos trocar as cortins da sala.

             O desagradável sabor das torradas, já velhas, tocou suas sensíveis papilas gustativas, o grande chefe de cozinha, Maurício, comia torradas velhas de manhã. Porém, talvez o sabor fosse da afirmativvaa feita por Ana Paula. As pessoas costumavam dizer que quando uma mulher desejava trocar as cortinas da sala de estar, havia algum problema com a relação.

            - Elas estão velhas. -Ana Paula interpretou o silêncio do seu companhero como a espera de uma justificativa para o desejo de trocá-las- e desgastadas.

            Como a nossa relação? Pensou Maurício. O que estava errado? Era culpa dele?

            - Eu acho que uma cortina nova valorizaria a sala. -ela buscava argumentos para convencer o rosto do marido, que fitava insistentemente e exclusivamente o nada, olhar vazio-

            Novidades para valorizar? O que ela queria dizer com aquilo? Ele não estava sendo romantico o suficiente? Ou o problema era na cama?

            - Amor? -ela chamou, para ter certeza de que era ouvida-

            - Tudo bem. Eu concordo. -ele tragou um gole do café, frio-

            - Amanhã vou encomendar uma mais moderna com o Ricardo. -ela estava prestes  a sair da cozinha, mas voltou e beijou o mariddo. O hálito dela? Hortelã -

            Moderna? Ricardo? Ela provavelmente estava tendo um caso. Ele pensou.

(KDM_, 19 de novembro de 2010, 10:40)

 



By Kdm às 19h39
[ ] [ envie esta mensagem ]






Cansei-me

Cansei de você

Sem mais noites não dormidas

De insônia depressiva

 

Como uma criança que se cansa

De tentar grudar com fita e barbante

O seu mais querido brinquedo

E finalmente resolve esquecer e deixar de lado

Procurar um que não tenha se quebrado

 

Os cacos que voaram desta quebra

Feriram minha pele sensível

E como um vaso eu também me quebrei

Em partes tão pequenas que pensei

Jamais conseguir juntar

 

Mas me cansei de você

Cansei de esperar de volta seus carinhos

Seus amores, seus sorrisos

E suas palavras de afeto

 

Sou dono do mundo

Sou diferente de tudo

Sou cativantemente sem igual

 

Um desvio de caminho como você

Que antes era uma ponte que se partiu

E agora é apenas um pedacinho arranhado do asfalto

Não poderia me fazer ficar no chão para sempre

Seguindo meu caminho

 

De Dono do mundo

(21 de dezembro de 2010, 03,14, alguma esquizofrenia depois de ouvir Lady Gaga, talvez seja contagioso)

 

é que às vezes tenho raiva.

Uma droga, provavelmente postei pra não passar dois meses com o blog abandonado novamente.

 

Feliz Natal.

não sei porquê, mas amo essa imagem

(e viva as cores de papai noel que não são só da coca)

 



By Kdm às 03h56
[ ] [ envie esta mensagem ]






"Ele não escolhe entre o amor a amizade. Ele sempre dá um passo de cada vez e eu só quero apertar ele forte em um abraço. Talvez ele me deixe primeiro. Não sei quando isso vai terminar, mas só desejo que não nos tornemos adultos tão cedo. Porque uma vez que esse dia chegue, nossa relação pode se tornar estreita. Por enquanto, tudo que posso fazer é esquecer isso e viver como se fosse durar pra sempre. Esquecer o crescimento rumo ao fim da juventude e.....Estar juntos para sempre." (Ken'ichi - 17Guyz)

Quando eu li este mangá pela primeira vez, estas frases fizera um sentido total pra mim e até tive vontade de chorar. Hoje, o que sinto ao ler as ultimas páginas, onde o texto acima se encontra, tudo que posso dizer que senti é raiva.

Eu espero nunca deixar de ser a criança que eu ainda sou, e que vão à merda estes malditos adultos chatos e entediantes que não podem demonstrar suas emoções ou se entregar ao amor.

Um brinde a todos nós, eternamente crianças!

Saúde!

(KDM_, em uma crise de abstinência por yaoi, 05:02, 17 de dezembro de 2010)



By Kdm às 05h11
[ ] [ envie esta mensagem ]






Algo Sobre Joelhos

Às vezes você leva um tombo na vida, não porque você caiu sozinho, mas sim porque alguém te empurrou. Construir relações com pessoas é complicado e dificilmente funcionará se você queria se aproximar daquela pessoa desde o início.

                Fazer planos, pensar no futuro, marcar de sair no fim de semana, estudar pra prova de amanhã. Tudo isso é tão banal e tão facilmente quebrável, como uma frase que sai sem querer, um comentário mal entendido e guardado com rancor, uma discussão em um momento de estresse que na verdade não foi culpa de ninguém.

                Mas quando estes tombos acontecem muitas vezes seguidas, os seus joelhos se machucam e você já não quer mais levantar porque dói, porque tem medo de cair outra vez e porque não sabe o quanto vai doer se a ferida exposta tocar o chão novamente.

No entanto, não é tão simples assim se deixar ficar no chão. Algumas vezes você espera a ferida cicatrizar, se levanta com os joelhos secos e sempre que olhar pras marcas deixadas pelas quedas, vai se lembrar de tomar cuidado com as pessoas, provavelmente não vai se entregar de novo. Outras vezes, alguém te ajuda a levantar só pra dali a um tempo te derrubar novamente.    

Quando as feridas começam a cicatrizar e alguém te levanta, você se coloca na defensiva, e pode ser que essa pessoa vá te dando curativos e remédios até que os seus joelhos estejam bons novamente, e você acredite que nunca mais vai tropeçar.

Se um dia, após bastante tempo, essa pessoa te derruba, quando você já se esqueceu de como lidar com a dor dos joelhos machucados, você vai sofrer, sentirá vontade de chorar, pensará que o mundo acabou, irá rever todas suas amizades. Mesmo que você consiga aos poucos ir se curando, até que tudo cicatrize você vai se perguntar: será que vale a pena construir outra amizade pra terminar exatamente como esta? Será que vale realmente a pena a felicidade de caminhar, se você pode cair e sentir a dor de se machucar?

Sinceramente, eu não sei.  

(KDM_, em um colapso depressivo, 23:23, 06 de dezembro de 2010)

O que VOCÊ acha?

   



By Kdm às 23h27
[ ] [ envie esta mensagem ]






 

ÓDIO                                             RÁIVA



By Kdm às 17h04
[ ] [ envie esta mensagem ]






Ela o seduziu, ela o conquistou, ela o fez amar

E ele a seguiu, como um cão faminto recém alimentado

And The Darkness Queen reinou soberana

Baixo a lâmina da espada of The Noblest Knight  

 

(KDM_, 29 de novembro de 2010, 21:00)

Veja meus antigos posts aqui: http://nogirls.zip.net/listArchive.html



By Kdm às 20h45
[ ] [ envie esta mensagem ]






E o seu sorriso me mordeu

Arrancou pedaços da minha alma

Ou do meu coração

Talvez eu não tivesse mais nada

Mas naquele momento nada importava

O brilho dos seus olhos fechados

Únicos lábios que se esticavam

Diante do meu mau humor diário,

Minha eterna defesa pessoal

Eu não conseguirei te afastar

Não é?

- Nunca

e você sorriu

(KDM_, 29 de novembro de 2010, 19:59)



By Kdm às 20h22
[ ] [ envie esta mensagem ]






Já escrevia Janio Quadros:

“Fi-lo porque qui-lo”

Quilo de porco filo

E como-o porque é sólido

Fi-lo porque qui-lo

Ou fi-lo porque o quis?

Por que o KISS, filho?

Fi-lo porque qui-lo?

Não!

Fi-lo porque estou a poetar

“Fi-lo porque qui-lo

Lê-lo-á quem suportá-lo”

(KDM_, 29 de outubro de 2010, 23:00)

Momento de loucura, provavelmente reformarei este "poema" qualquer dia.

Veja meus antigos posts aqui: http://nogirls.zip.net/listArchive.html



By Kdm às 23h04
[ ] [ envie esta mensagem ]






É o poeta

Irado. Aquele sentimento incômodo e ao mesmo tempo infinitamente profundo. Raiva, ira, ódio. Os dedos tensionados sobre a cabeça, apertando-a. Urrou. Atacou os papéis sobre a mesa. Rasgou-os irracionalmente. Picotou-os completamente. Ficou ali por minutos, destruindo todos seus escritos. Grande lixo.

                Infeliz. Amaldiçoou todos seus textos. Acalmou-se. Julgou-se. Entristeceu-se. Quis chorar. Chorou, por dentro, mas chorou. Donde estava o talento que queria? Ele existiu algum dia? Provavelmente não. Grande lixo.

                 Melancólico. Pensou em abandonar qualquer esperança. O telefone tocou. Atendeu-o. “Você está bem?” perguntou a voz. Suave. Meiga. Feminina. Era ela. Aquela. Veio então a existência do talento e inspiração. Preso a uma paixão. É o poeta então. 

(KDM_, 17 de agosto de 2010 21:30)

Veja meus antigos posts aqui: http://nogirls.zip.net/listArchive.html



By Kdm às 21h31
[ ] [ envie esta mensagem ]






30 de junho de 2010.

Carpe Diem

                Era uma nova manhã fria de domingo, ela abriu vagarosamente os cansados olhos, em reação aos primeiros raios de sol que lhe tocavam a face. Sol de inverno, tão delicado, não poderia chamá-los de frios, afinal, eram raios solares, mas tão pouco poderia chamá-los de quentes, eram apenas uma fina luz que passava pelo vidro da janela e lhe tocava.

A cama sim estava quente, os cobertores lhe aqueciam, e era envolvida por calor humano, dormira em um acolhedor abraço do namorado, a cabeça sobre o tórax dele coberto por um pijama largo, cuja abertura da gola caia sobre os ombros.

Fitou o rádio relógio sobre o criado mudo, oito horas, tinha que se levantar. Precisava estudar, fazer tarefas domésticas, por trabalho em dia. Mas aquela cama puxava-a com todas as forças. Não tinha a menor vontade de trocar aquele cálido momento, por horas em frente aos livros. No entanto, ela realmente precisava estudar.

Mexeu-se na cama tentando se levantar sem acordar seu amado. Ele se virou na cama e a cola da gola deu espaço para letras escritas pouco abaixo do seu pescoço: “Carpe Diem” dizia a tatuagem dele. As lembranças de uma boa leitura e das ultimas aulas de literatura que teve tomaram sua cabeça. “Carpe Diem” que significa: aproveite o dia.

Ela se ajeitou sob os braços dele outra vez. Só por hoje...só por hoje Carpe Diem.

(KDM_)

Veja meus antigos posts aqui: http://nogirls.zip.net/listArchive.html



By Kdm às 23h17
[ ] [ envie esta mensagem ]






Filamentos perdidos do que um dia foi verdade

Como sonhos benditos que se tornaram realidade

Corações compulsivos destruídos por saudades

Que não são simples sombra distorcida da estúpida humanidade

 

Os ruídos matutinos já não me incomodam com freqüência

De tão cansada minha alma demente

Nem se quer se fixa a mente

Em nada que não seja o mundo de raiva em essência

 

Chora se condena e me tortura

A consciência minha que se desmancha

Corroída por triste e forte amargura

 

Esquece estas linhas e me deixa

Ó amor que galopa à escura

Pois já torna minha mente: cega, louca e trouxa

(KDM_, domingo, 11 de abril de 2010, 18:12)

Veja meus antigos posts aqui: http://nogirls.zip.net/listArchive.html



By Kdm às 17h53
[ ] [ envie esta mensagem ]






                Algum tempo atrás, eu tive uma discussão com um grande amigo. Como eu sempre tentava bancar a forte, não demonstrei tristeza alguma nos dias que passei sem falar com ele.

Obviamente, como éramos amigos, aquele silêncio não poderia continuar para sempre, então resolvi esclarecer a situação, eu não tinha certeza sobre porque ele estava magoado comigo. Após algumas explicações, ele me fez prometer que eu jamais faria ele se sentir desnecessário e substituível outra vez.

Não costumo prometer qualquer coisa que venha acompanhada de um “nunca, jamais ou para sempre”, mas desta vez eu resolvi prometer, não pensei que de alguma forma eu pudesse romper este “contrato”.

 De fato, eu não o rompi, o que verdadeiramente mudou, foram os lados da moeda. Eu finalmente descobri como ele se sentiu, anos atrás, “desnecessária e substituível”, é exatamente como me sinto neste momento.

Mesmo que existam várias pessoas ao meu redor, me enchendo de atenção, eu ainda me sinto solitária, talvez porque a presença que eu mais queria ao meu lado, não virá mais. Todos os dias eu tenho que controlar meus estúpidos desejos de abraçar essa pessoa com todas as minhas forças várias vezes, como se eu pudesse acreditar que fazendo isso nos tornaríamos um só.

É tão doloroso pensar que todo o seu amor é jogado ao acaso, que ele não atinge nem um pouco quem você queria que atingisse. “Jamais me faça sentir desnecessário e substituível outra vez”. Não bastasse a minha “ética” praticamente inviolável que nunca me deixa quebrar minhas promessas é como se a minha mente tivesse gravado essa frase.      

Insubstituível. Esta é a palavra. Não importa o quanto eu tente, o meu coração sempre volta os olhos para aquele lado. O que me faz sentir ainda mais desprezível. Eu não preciso dessa pessoa para ser feliz (no ponto de vista “racional” da questão), há tanta gente que tem feito merecer meu amor muito mais que ela, mas eu simplesmente não consigo.

O pior é saber que eu sempre tive em mãos tudo que era preciso para tornar esta pessoa feliz, mas talvez por meu egoísmo, orgulho, auto-protecionismo, ou seja lá o que for, eu não tornei esta felicidade real. Mesmo que eu me lamentasse todos os dias por isso, e mesmo que eu continue me lamentando, minhas estúpidas lágrimas sem dignidade não mudarão a história.

A única pessoa que eu posso culpar no fim as contas é a mesma que digita as palavras que você lê neste momento, conhecida também, como o ser mais deplorável e desprezível do planeta.

(KDM_, 6 de julho de 2010)



By Kdm às 22h15
[ ] [ envie esta mensagem ]





 

Sobre...

“Kawaii, bruta de inicio, mas com o tempo se solta bastante.”
By Angel


“1º É inteligente. 2º Não é paty. 3º É criativa e descontraída. 4º É companheira. E isso tudo veio a minha cabeça de imediato.”
By Hiray

“Se irrita fácil, é vingativa, protege e destrói ao mesmo tempo.”
By Itachi

“Acho que não sei quem sou só sei do que não gosto”
Acho que eu sou diferente pra cada tipo de pessoa, e eu vivo sempre preparada para o pior, por isso, não confio muito, não me apego muito, não paro muito pra sentir.
Eu sinto sempre uma necessidade de criar, poemas, histórias, desenhos, qualquer coisa que possa fazer minha imaginação se soltar.
Eu não sei por que a necessidade de criar um blog, talvez alguém leia, talvez não, mas parece divertido, além do designer lindo que a Angel fez (*¬*).

 

Contador ^-^V